Energia Solar: muito mais do que economia.


Você sabia que o Sol é capaz de produzir energia suficiente para suprir a demanda de energia elétrica do Mundo inteiro?

Este caminho da sustentabilidade, através do uso das energias limpas, a exemplo da solar fotovoltaica, tem crescido e muito no Brasil. Em 2018, duplicamos o número de instalações no país.

Quando falamos em Energia Solar é claro que pensamos na questão da economia no final do mês. Porém, se formos analisar outros pontos como a Geração de Créditos de Energia e sistema de compensação fica fácil perceber que é muito vantajoso ter um sistema fotovoltaico!


Sistema de Créditos Energéticos

Garantidos pela resolução normativa 482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), em 2012, os créditos energéticos permitem que o valor da energia excedente produzida pelas placas solares se converta em abatimento na conta de luz para meses futuros.

Resumidamente, quando um gerador fotovoltaico gera mais potência do que os equipamentos eletrônicos da propriedade conseguem consumir, a corrente elétrica seguirá até a rede pública, passando pelo relógio e sendo computada como energia injetada.

Ao fim do mês, a distribuidora irá calcular dois valores: o da energia elétrica consumida (kWh-03), e o da energia elétrica injetada (kWh-103).

O valor dessa energia injetada será transformado em créditos energéticos, que o proprietário do gerador solar fotovoltaico pode utilizar para abater dos valores de energia consumida.


Compensação de Energia

A resolução ainda garante que se houver excedente, os créditos de energia ativa podem ser utilizados para compensar o consumo em outra unidade consumidora de mesmo CPF ou CNPJ. Ou seja, você pode, por exemplo, ter um sistema instalado em uma propriedade rural e abater os créditos na conta de luz de uma segunda propriedade realizando assim a compensação.


Como funciona a instalação do sistema fotovoltaico